terça-feira, abril 25, 2006


Ele ficou confuso quando ela lhe entregou o bilhete e sumiu no meio da multidão, desaparecendo enquanto ele olhava o estranho papel dobrado. Quem era ela? O cabelo era familiar, mas sua voz dizendo: "Não pare. Mova-se!" soou completamente nova. Sim, ela era muito bonita. Bonita estilo modelo de lingerie. Saiu imediatamente do meio da calçada e segurou a pasta entre as pernas, usando as duas mãos para desdobrar o bilhete. Leu devagar, decifrando a letra corrida. Espantou-se. Aquilo não podia ser verdade! Tal situação nunca ocorrera com o homem de vida simples que ele era. Na verdade aquilo só acontece em filmes! Colocou rapidamente o bilhete no bolso do casaco e correu, esbarrando em todo mundo, largando a pasta alí mesmo no canto da calçada.

Direita ou esquerda? Ele precisava encontrá-la! Se fosse verdade o que estava escrito, aquilo podia mudar sua vida por completo! Uma guinada selvagem do destino que muitas pessoas não percebem quando acontece. Ou não tomam iniciativa e a oportunidade passa. Direita ou esquerda?! Pensa ele rápido quando chega na esquina. Algo em seu estômago grita esquerda mas o longo penteado reluzente que passa de relance à sua direita o obriga a seguir por aquele caminho. Será que ela entrou na danceteria de fachada neon no final da rua? Provável. O perfume dela entrou pelo menos. E ele entra também. Paga a entrada e vai para a escuridão intermitente da pista. Em sua ansiedade instintiva, tenta olhar para toda e qualquer pessoa lá dentro. Mas são muitas. Não existe possibilidade de encontrá-la. Quando tudo parece perdido, o perfume dela acerta seu rosto como um tapa. Imediatamente ele vira para o lado, a tempo de enxergar a porta do banheiro unisex se fechando. Desvia de mais um punhado de pessoas e passa apertado entre as mesas de pedra para chegar lá, mas é barrado, tendo sua cintura firmemente segura por um outro homem, grande, musculoso e careca. Ele olha bravo para seu novo obstáculo e se espanta com o tamanho do rapaz. "Hey! O que você quer cara?!" pergunta áspero. "Você está sozinho, gato?" responde o outro. "Sai fora! Não curto homem!" Grita ele, se desvincilhando do rapaz e voltando-se novamente para o banheiro.

Mal a porta bate atrás dele e ele já se pergunta por que o banheiro tinha que ser tão grande!? Tinha umas trinta pessoas lá dentro e ainda mais entrando e saindo. Maldição! Onde está ela!? Eu preciso encontrá-la! Pensa ele. Pega novamente o bilhete em seu bolso e torna a lê-lo, desacreditando em sua mensagem. Morde a ponta do papel e percebe que está passando por uma severa crise de ansiedade desesperadora. Daí ele percebe um par de pés solitários sob a portinhola de um dos toaletes. Aproxima-se dois passos e sente aquele perfume. Sem perguntar nada, empurra a porta e lá está ela. Impecável. Maravilhosa. Seu rosto é o rosto que anjos devem ter. Entra sem dizer uma palavra e beija sua boca, insandecido, borrando seu batom e colocando as mãos por baixo de sua saia. Beija seu pescoço enquanto sente o calor molhado nos dedos. Esfrega a língua no céu da sua boca e arranha suas costas, fazendo ela gemer baixinho. Por que o bilhete, afinal? Qual era a mensagem subliminar alí? Não podia ser verdade o que parecia!

Alguém bate forte na porta, duas vezes, mas ele não liga. Tudo o que ele quer é viver naquele paraíso de mulher. Que rasguem seu registro geral pois ele não quer mais voltar para o mundo. E ela agradece, baixinho, sussurrando em seu ouvido. E eles se beijam mais uma vez. E ela fecha os olhos e seu corpo amolece, sentando no vaso sanitário imundo, seu vestido embebido em sangue. Ele respira fundo e tapa a própria boca para não gritar. Quando olha para trás percebe os dois pequenos buracos na porta. Percebe pessoas gritando lá fora. Percebe a visão anuviar. Percebe que um anjo veio lhe buscar.

7 comentários:

Fernando Cruz disse...

Fiquei na dúvida! Quem morreu, a mina ou o cara??

Julien De Lucca disse...

Ambos. Os tiros atravessam a porta, o cara e pegam nela também. Só que ele só percebe mais tarde.

A questão é: O que estava escrito no bilhete? =)

Edson disse...

Mas heim???!!!

Edson (quem mais poderia?) disse...

"Se você me alcançar eu trepo com você a noite inteira" - Era o que estava escrito no bilhete.

Podem aplaudir, não se intimidem clap, clap, clap, clap, clap, clap.

Fefos disse...

HAHAHAHAHA... Sò o Gordo pra chegar nessa conclusão...

Bill disse...

Tava escrito:
"Encontre-me no banheiro da Moquifo's em 20 minutos. Seja comido pelo leão de chácara.
Depois me possua."

O cara pulou a segunda instrução e dançou!!!

Lady disse...
Este comentário foi removido pelo autor.