segunda-feira, janeiro 11, 2010


Não sei se pelo silêncio da madrugada ou pelo simples fato de respirar a vontade incandes... incandecen... incandesçen... a vontade que queima dentro de mim que eu... quer saber? Feliz 2010.

2009 passou. Passou. Deixo de lado os verborrágicos verbetes de relacionamentos passados - ou mal passados - e sou eu mesmo. Digo para o mundo que a só escrevo de madrugada pois - provavelmente - estou bêbado e queria fazer mais coisas do que o mundo deixa. Afirmo ao mundo que nos cerca que ele é sujo mas mesmo assim eu gosto dele. Aponto para aquela pessoa que ainda não sabe o que fazer e digo "Vai se foder!" com todas as palavras muito bem articuladas. Eu quero gritar o que eu tenho vontade! Eu quero tudo, eu quero nada, eu quero uma overdose de você só pra ter certeza que eu te odeio. Eu quero amar sem ter responsabilidade e não ter de deixar dinheiro na cômoda antes de sair do quarto. Quero cuspir tudo isso e quero que me entendam. Quero chorar baixinho e receber mimo sem ter de pedir. Quero gastar o que eu não tenho. Quero destruir o seu sorriso com minha boca cheirando a bebida cara. Quero ser eu mesmo e foda-se quem se importar.

Passou. Passou. Agora eu quero ser sério. Eu quero um futuro decente com filhos e uma esposa sorridente. Eu quero um emprego estável e não ter de correr riscos desnecessários. Quero aquele cartomante que me indicaram, pois ele só fala coisas boas. Quero assistir o Jornal Nacional no colo dela e lembrar de comprar a Cláudia desse mês para deixar na mesa da sala. Preciso também lembrar de escrever o cartão de aniversário da minha sogra, que é um doce de senhora. Quero não querer encher a cara com meus amigos para manter o bem estar social dentro de casa. Quero não me preocupar com o IPVA. Quero que o motorista do taxi dirija devagar. Quero ser eu mesmo e me importar com o que pensam de mim.

Passou. Passou. Quero resistir às tentações ao me entregar a elas. Quero apertar o pescoço dela até eu achar que já é suficiente. Quero frequentar a igreja todo domingo. Quero rasgar suas roupas com a boca e embebê-la de uísque importado antes de sorver seu corpo. Quero economizar dinheiro e parar de fumar. Quero trepar loucamente sobre uma mesa de sinuca, perante um público horrorizado. Quero visitar mais minha família e ouvir as estórias da minha avó. Quero ganhar muito dinheiro e gastá-lo de forma inconsequente. Quero ser medíocre e viver em paz. Quero lamber as grades de uma prisão feminina. Quero ser eu mesmo, sem me importar em se-lo.

8 comentários:

Nadini disse...

Hummmmmmmmmm...
mesa de sinuca..
sei..
rs

Mah disse...

Eu quero o tudo e o nada, cheio de vazios!
Vc me completa de formas bizarras..

Pat Muccino disse...

Por que o público horrorizado ???

Fernando Cruz disse...

Virou viado?? Quer comprar a Claudia e deixar sobre a mesa?? go to hell...

Casamentos atuais é sem revistas claudias e afins... É querer um monte de coisa e não querer nada...

Mas uma coisa que casamento tem que eu sinto falta é ficar um pouco sozinho...

Gabi disse...

O melhor texto que você já escreveu.

Pat Muccino disse...

OMG! Vc tem outro alter ego? (acima...) IoI... Me amarrota que eu tô passada! :)

Lady disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dominick Van Shelley disse...
Este comentário foi removido pelo autor.