terça-feira, junho 09, 2009

-Bom, falamos de mim até agora. E você? Como aconteceu?
-Tiro nas costas. No meio dum bar... nunca mais sento virado pra rua.
-Nossa... deve ser decepcionante morrer de repente sem nem saber da onde veio.
-Pfff... decepcionante foi chegar no paraíso e descobrir que é paraíso porra nenhuma. Que a gente só fica aqui sentado numa nuvem olhando lá pra baixo esperando a reencarnação. Cacete... você viu o tamanho da porra da fila? Minha senha é número 3.748.549.002 e acabaram de chamar a número 16. Isso é decepção.
-Mas pelo menos a gente não passa fome e pode ver o que todo mundo ta fazendo. Quer ir assistir um trio de lésbicas no meio do lets?
-Nah! Já to aqui por causa de mulher. Não ta afim de ir ver um jogo de qualquer coisa?
-Como assim por causa de mulher? Não foi assalto?
-Não. Foi o marido da garota. Digamos que ele não aceitou bem ser trocado. Traído. Trocado é se eles já tivessem terminado. Daí acho que ele atirava nela. Mas ta ok. Antes eu que ela e ainda o filho-da-puta vai ter que passar a vida dele em cana. Provavelmente vão estourar as pregas dele que nem criança com plástico bolha. Uma por uma até não sobrar mais nada.
-Heheheh... sério? Mas a mulher era bacana pelo menos? Valia a pena o risco?
-Porra, ela era fantástica. Inteligente, sexy, charmosa até o osso. Bom, eu morri por ela, não? Morte por amor, cara. Nem foi tão ruim assim. Dói só no começo. Depois você se vê livre de um monte de coisa... contas, problemas etc... morri feliz.
-Mas e aí? Era boa de cama pelo menos? Beijava gostoso?
-Não sei. É... não precisa ficar com essa cara... eu nunca saí com ela. Nunca nem beijei. Era a primeira vez que a gente saia escondido pra conversar. O foda era a vibe... sabe? Quando você não pode nem chegar perto de alguém que seu coração faz questão de dizer que regras não se aplicam, que todo o certo e errado não é branco e preto, é um gigante tom de cinza. E você acha que pode pelo menos por umas duas horas viver no seu mundinho de chocolate onde amor e afeição valem mais do que toda a merda que você assiste na televisão. Que o mundo não é um labirinto complexo de coisas que só podem te foder. Bom, 0,38mm de chumbo disseram que eu estava enganado.
-Mas você faria de novo não faria?
-Com certeza. Eu mal consigo tirar o sorriso do rosto.
-Bom, acho que então eu vou passar o jogo e as lésbicas. Vou lá pra fila da reencarnação. Fiquei empolgado com a sua estória. Quem sabe não arrumo uma pra mim quando eu descer? Vem junto ou vai ficar sentado nessa nuvem estúpida?
-Rapaz, vou ficar sentado na nuvem estúpida. Vou esperar ela chegar assim pelo menos a gente reencarna junto. Quem sabe na próxima vida eu encontro ela antes de um tapado qualquer?
-Verdade... boa sorte então... não parece que ela vai subir tão cedo.
-Não tem problema. Eu espero.
-Abraço! Quem sabe a gente não se vê lá em baixo um dia?
-É.. quem sabe? Abraço rapaz.

Sozinho, ele sobrevoou a cidade em sua confortável nuvem e parou na frente da janela dela. Ela estava acordada ainda. Ele deu um suspiro. Ela parou de chorar.

4 comentários:

Lady disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando disse...

Caralho, muit foda o finalzinho do texto... Mandou muito bem...

Pat Muccino disse...

Forte...

Lady disse...
Este comentário foi removido pelo autor.